||->> Pérolas do Capitão Flores <<-||

Passo a passo, o que fazer no avião quando o passageiro ao lado é um chato.

1. Tire o laptop da mala;
2. Abra o laptop bem devagar;
3. Ligue;
4. Assegure-se que o vizinho está olhando;
5. Acesse a Internet;
6. Feche os olhos por breves momentos, abra-os de novo, dirija o olhar pro céu e finja que está orando baixinho;
7. Respire profundamente e abra este site:

http://www.myit-media.de/the_end.html

8. Observe a expressão do vizinho.

Anúncio da DM9DDB para WWF gera polêmica

Agência brasileira diz que peça para o WWF que faz referência ao 11 de setembro foi aprovada por “instâncias intermediárias” e veiculada em jornal de São Paulo, mas prontamente cancelada; a WWF Brasil a princípio negou, mas em comunicado conjunto ficou esclarecido que ela aprovou a peça

tsunami

O site da revista norte-americana especializada Advertising Age, parceira de Meio&Mensagem, publicou nesta terça-feira, 1º, uma matéria em que faz duras criticas a um anúncio criado pela DM9DDB para a ONG WWF.
A peça mostra diversos aviões em baixa altitude indo em direção a uma Manhattan na qual o complexo do World Trade Center e suas duas torres gêmeas ainda existiam. E o texto afirma que o Tsunami matou muito mais gente do que o 11 de setembro, indicando que o ser humano deve se precaver (confira a foto).
A peça gerou discórdia e revolta nos norte-americanos e colocou em posições opostas a agência brasileira e o braço local da ONG.
Uma porta-voz da DM9DDB disse que a peça foi aprovada pelo WWF Brasil e que teve veiculação em um jornal de São Paulo, sem especificar qual. A aprovação teria ocorrido em “instâncias intermediárias”, segundo a fonte. Quando as lideranças tomaram conhecimento, a campanha teria sido imediatamente suspensa. A peça, inclusive, chegou a participar de uma premiação, o One Show, o que pode ter sido o trampolim para que ela se tornasse conhecida em outros países. O anúncio está, no momento, sendo exibido pelo Blog Advertolog, neste link.
Em nota, a DM9DDB ressaltou que o anúncio Tsunami “foi criado por uma equipe da DDB Brasil que já não faz mais parte da agência”. “A DDB Brasil pede desculpas a todos que tenham se sentido ofendidos pelo anúncio, que não deveria ter sido produzido e que não reflete a filosofia da agência”, diz.
Em posição oposta, o braço brasileiro do WWF publicou em seu blog um comunicado no qual diz que a peça foi apresentada pela DM9DDB em dezembro de 2008, mas que não aprovou sua veiculação. “A relação entre atos de terrorismo, que vitimaram milhares de pessoas, com os efeitos das mudanças climáticas não é justificada em hipótese alguma e não está alinhada com a mensagem que a organização pretende passar para atingir seus objetivos de conservação da natureza e uso sustentável dos recursos naturais”, disse a ONG brasileira, que lamentou profundamente o ocorrido.
A WWF global afirmou em comunicado não ter solicitado a produção e criação da peça e, mais do que isso, condenou o anúncio, dizendo que ele é ofensivo. “Este conceito foi sumariamente rejeitado pela WWF e jamais deveria ter visto a luz do dia. Representa um uso não-autorizado do nosso logo e estamos tomando ações para que sejam removidos dos websites onde estão publicados”, diz a ONG.
Revolta nos EUA
O Advertising Age, que tem sede em Nova York, apontou que, “surpreendentemente, muitas pessoas pensaram que o anúncio foi mesmo assinado pela WWF”. E que, nas palavras do repórter Ken Wheaton, “pior do que a ridícula imagem, foi o texto”. Ele cita ao texto exibido na peça postada pelo Advertolog: “O Tsunami matou 100 vezes mais pessoas do que o 11 de setembro. Mas qual tsunami? O planeta é brutalmente poderoso. Respeito-o. Preserve-o”.
O jornalista apontou que a peça é insensível e ressaltou que “Tsunamis não tem nada a ver com preservação ou conservação. São tipicamente causados por terremotos ou outras forças geológicas, que, segundo checamos, não são afetados pela extinção de animais, desflorestamento ou aquecimento global”. Os comentários da matéria pelos leitores do site também atacaram fortemente o anúncio da agência brasileira.
Comunicado em conjunto
A WWF Brasil e a DM9DDB emitiram durante a tarde desta terça-feira, 2, um comunicado em conjunto em que esclarecem que o anúncio de fato foi aprovado de maneira equivocada pelo anunciante no final de 2008. “Fruto somente da inexperiência de alguns profissionais envolvidos de ambas as partes. E não de má fé ou desrespeito ao sofrimento americano”, diz a nota.
Elas confirmaram que o anúncio foi veiculado somente uma vez em um jornal de São Paulo, cujo nome não foi revelado, e que chegou a participar de um festival internacional. Ambas lamentaram o ocorrido e pediram desculpas a todos os que se sentiram atingidos.

O site da revista norte-americana especializada Advertising Age, parceira de Meio&Mensagem, publicou nesta terça-feira, 1º, uma matéria em que faz duras criticas a um anúncio criado pela DM9DDB para a ONG WWF.

A peça mostra diversos aviões em baixa altitude indo em direção a uma Manhattan na qual o complexo do World Trade Center e suas duas torres gêmeas ainda existiam. E o texto afirma que o Tsunami matou muito mais gente do que o 11 de setembro, indicando que o ser humano deve se precaver (confira a foto).

A peça gerou discórdia e revolta nos norte-americanos e colocou em posições opostas a agência brasileira e o braço local da ONG.

Uma porta-voz da DM9DDB disse que a peça foi aprovada pelo WWF Brasil e que teve veiculação em um jornal de São Paulo, sem especificar qual. A aprovação teria ocorrido em “instâncias intermediárias”, segundo a fonte. Quando as lideranças tomaram conhecimento, a campanha teria sido imediatamente suspensa. A peça, inclusive, chegou a participar de uma premiação, o One Show, o que pode ter sido o trampolim para que ela se tornasse conhecida em outros países. O anúncio está, no momento, sendo exibido pelo Blog Advertolog, neste link.

Em nota, a DM9DDB ressaltou que o anúncio Tsunami “foi criado por uma equipe da DDB Brasil que já não faz mais parte da agência”. “A DDB Brasil pede desculpas a todos que tenham se sentido ofendidos pelo anúncio, que não deveria ter sido produzido e que não reflete a filosofia da agência”, diz.

Em posição oposta, o braço brasileiro do WWF publicou em seu blog um comunicado no qual diz que a peça foi apresentada pela DM9DDB em dezembro de 2008, mas que não aprovou sua veiculação. “A relação entre atos de terrorismo, que vitimaram milhares de pessoas, com os efeitos das mudanças climáticas não é justificada em hipótese alguma e não está alinhada com a mensagem que a organização pretende passar para atingir seus objetivos de conservação da natureza e uso sustentável dos recursos naturais”, disse a ONG brasileira, que lamentou profundamente o ocorrido.

A WWF global afirmou em comunicado não ter solicitado a produção e criação da peça e, mais do que isso, condenou o anúncio, dizendo que ele é ofensivo. “Este conceito foi sumariamente rejeitado pela WWF e jamais deveria ter visto a luz do dia. Representa um uso não-autorizado do nosso logo e estamos tomando ações para que sejam removidos dos websites onde estão publicados”, diz a ONG.

Revolta nos EUA

O Advertising Age, que tem sede em Nova York, apontou que, “surpreendentemente, muitas pessoas pensaram que o anúncio foi mesmo assinado pela WWF”. E que, nas palavras do repórter Ken Wheaton, “pior do que a ridícula imagem, foi o texto”. Ele cita ao texto exibido na peça postada pelo Advertolog: “O Tsunami matou 100 vezes mais pessoas do que o 11 de setembro. Mas qual tsunami? O planeta é brutalmente poderoso. Respeito-o. Preserve-o”.

O jornalista apontou que a peça é insensível e ressaltou que “Tsunamis não tem nada a ver com preservação ou conservação. São tipicamente causados por terremotos ou outras forças geológicas, que, segundo checamos, não são afetados pela extinção de animais, desflorestamento ou aquecimento global”. Os comentários da matéria pelos leitores do site também atacaram fortemente o anúncio da agência brasileira.

Comunicado em conjunto

A WWF Brasil e a DM9DDB emitiram durante a tarde desta terça-feira, 2, um comunicado em conjunto em que esclarecem que o anúncio de fato foi aprovado de maneira equivocada pelo anunciante no final de 2008. “Fruto somente da inexperiência de alguns profissionais envolvidos de ambas as partes. E não de má fé ou desrespeito ao sofrimento americano”, diz a nota.

Elas confirmaram que o anúncio foi veiculado somente uma vez em um jornal de São Paulo, cujo nome não foi revelado, e que chegou a participar de um festival internacional. Ambas lamentaram o ocorrido e pediram desculpas a todos os que se sentiram atingidos.

Felipe Turlão

Post in Meio&Mensagem

||->> Pérolas do Capitão Flores <<-||

Pirassununga -Esquadrilha da Fumaça

Clipe feito em Pirassununga com a Esquadrilha da Fumaça e o Cmte
Waldonys, simplesmente maravilhoso. O cantor tambem é piloto de
acrobacias aéreas.
Apertem seus cintos.. e curtam a viagem….Flores ..

Clipe feito em Pirassununga com a Esquadrilha da Fumaça e o Cmte

Waldonys, simplesmente maravilhoso. O cantor tambem é piloto de

acrobacias aéreas.

Apertem seus cintos.. e curtam a viagem….Flores …