Qual a cor do seu cérebro?

Pesquisadora americana Sheila Glazov fala da teoria das cores do cérebro e explica como o programa pode facilitar relacionamentos

Clarissa Passos, iG São Paulo

Com mais de 40 anos de carreira, a educadora e pesquisadora norte-americana Sheila Glazov acredita que cada pessoa tem o cérebro multicor. A partir de um modelo de classificação de perfis psicológicos baseado em teorias junguianas, ela desenvolveu um programa que permite às pessoas classificar seu perfil a partir de cores. O livro “A Cor do Seu Cérebro” (Editora Novo Conceito), que explica a teoria, acaba de ser lançado no Brasil.

Formada em Educação na Ohio State University e em Liderança Criativa pela Disney University, e com clientes como as gigantes Motorola e Sears, Sheila tinha como objetivo simplificar os testes psicológicos, oferecendo uma ferramenta que pudesse ser usada tanto em casa como no trabalho, por crianças e adultos. Em entrevista, Sheila explica por que criou a teoria, esclarece como ela pode ajudar as pessoas e ensina a descobrir qual a cor do seu cérebro.
iG Como você criou a teoria das cores?
Sheila Glazov Fui inspirada a criar “A Cor do Seu Cérebro” enquanto percebi que os indivíduos nem sempre respeitam o ponto de vista do outro. Quis criar um ambiente “não-julgador”, que eliminasse a crítica negativa e reforçasse a apreciação das ideias de cada um. Senti que poderia oferecer às pessoas uma maneira fácil de valorizar e entender a perspectiva do outro, e comunicar-se de forma mais efetiva para desenvolver soluções benéficas a todos.

iG Qual é a base da teoria?
Sheila Glazov O alicerce para a teoria das cores do cérebro é o Myers Briggs Type Indicator [um teste de perfis psicológicos desenvolvido em 1942 por Isabel Briggs Myers e Katharine Cook Briggs, baseado nas teorias do psiquiatra Carl Gustav Jung sobre os tipos psicológicos]. No entanto, o MBTI utilize-se de várias combinações de letras, termos e símbolos para descrever o tipo de personalidade de um indivíduo – é muito complicado para crianças e, muitas vezes, confuso até para adultos. Descobri que as pessoas respondem positivamente à teoria das cores do cérebro porque usamos apenas quatro: amarelo, azul, verde e laranja para designar os quatro tipos principais de personalidade.

iG Como você acha que a teoria pode ajudar a vida das pessoas?
Sheila Glazov Ela dá ao indivíduo uma oportunidade de olhar para si mesmo, para seus relacionamentos e como eles se comportam em diferentes áreas. “A Cor do Seu Cérebro” traz uma abordagem rápida e direta, que ajuda a pessoa a reconhecer e respeitar o melhor nela mesma e nos outros; compreender as perspectivas diferentes; rir de suas próprias idiossincrasias; comunicar-se de acordo com as cores e chegar ao equilíbrio em suas vidas pessoais e profissionais.

iG Como descobrir qual é a cor do seu cérebro?
Sheila Glazov Por testes psicológicos que estão no livro e no meu site. Na verdade, somos todos uma mistura de cores, ou um “brainbow” [trocadilho com rainbow, palavra que significa arco-íris, em inglês] das quatro cores. No entanto, todos temos uma cor primária, que descreve como vemos nossos próprios atributos e habilidades, e representa nossa perspectiva pessoal.

iG E qual é a cor do seu cérebro?
Sheila Glazov Eu me vejo como um cérebro azul: sou criativa, comunicativa e gosto de ajudar. Valorizo confiança, empatia e cooperação. Minha cor seguinte é amarelo. Sou leal, responsável, respeitadora e organizada, e valorizo tradições, estabilidade e compromissos.

iG E no campo da maternidade? Como reage cada “cor” de mãe?
Sheila Glazov Mães com “cérebro amarelo” são responsáveis, valorizam método e têm visões tradicionais sobre o comportamento de seus filhos. Elas esperam que suas crianças respeitem e sigam as regras. Já os pais de “cérebro azul” são devotados, adoram passar tempo com seus filhos e esperam relações harmoniosas. Pais de “cérebro verde” são reservados e resolvem problemas de forma objetiva. Querem que seus filhos sejam independentes e auto-suficientes. Por fim, pais e mães de “cérebro laranja” são entusiasmados e têm mente aberta. Eles gostam de se divertir com suas crianças e as encorajam a correr riscos.

iG Cada cor tem características boas e outras ruins?
Sheila Glazov Sim, mas é essencial estabelecer que a abordagem de “A Cor do Seu Cérebro” é uma explicação do comportamento das pessoas, e não uma desculpa para comportamentos inapropriados. Podemos aprender a lidar com nossas falhas se as reconhecermos. Se uma pessoa se encontra em um ambiente que não a encoraja, ela pode apresentar seu “lado sombra”. Os “cérebros amarelos”, por exemplo, tendem a tornar-se controladores, reclamões e inflexíveis. “Cérebros azuis” podem apresentar choro, depressão e não encarar a realidade. “Cérebros verdes” ficam sarcásticos, indiferentes e insensíveis. Os laranjas passam a agir com imaturidade e se tornam rudes e compulsivos.

Descubra qual a cor do seu cérebro

1º. Leia as perguntas e classifique cada alternativa (a. b. c. ou d.) usando:
– muito – equivale a 4 pontos
– não tanto – equivale a 3 pontos
– quase nada – equivale a 2 pontos
– muito pouco – equivale a 1 ponto

2º. Some os pontos que você fez em cada letra. A sua cor será a que somou o maior número de pontos.

3º. Não há problema se você empatar a soma em duas ou mais letras; isso significa que duas ou mais cores têm o mesmo peso na sua personalidade.

1. Eu me vejo como um(a):
a. Técnica b. Jogadora c. Visionária d. Resolvedora de Problemas

2. As outras pessoas me veem como:
a. Respeitadora b. Zelosa c. Inteligente d. Amante da diversão

3. Me sinto confortável em um ambiente que apoie a minha:
a. Estabilidade b. Harmonia c. Privacidade d. Liberdade

4. Ao tomar uma decisão, gosto de:
a. Ter um plano b. Usar a intuição c. Pesar os fatos d. Ser espontâneo

5. Eu fico frustrad0(a) com:
a. Caos b. Insensibilidade c. Incompetência d. Tédio

Resultado:

Mais pontos em:
a. Cérebro amarelo – Pessoas leais, responsáveis, respeitadoras e organizadas e valorizam tradições, estabilidade e compromissos.

b. Cérebro azul – Pessoas criativas, comunicativas e que gostam de ajudar. Valorizam confiança, empatia e cooperação.

c. Cérebro verde – Pessoas lógicas, que valorizam sabedoria, competência e independência.

d. Cérebro laranja – Representa pessoas enérgicas, corajosas e generosas, que valorizam empreendedorismo, desenvoltura e generosidade.

Posted in IG

Anúncios

Publicitário é a segunda profissão menos confiável no mundo

Uma pesquisa feita no Brasil, EUA e Europa mostram quais são as profissões mais confiáveis entre 20 categorias. Os políticos são os menos confiáveis em todo o planeta.

“Acho que são tipo, herói do povo”, diz um senhor.

“Precisei e eles estavam ali né?”, comenta uma senhora.

Já sabe de quem estamos falando? Dos bombeiros. A profissão que as pessoas mais confiam. E não é difícil entender por quê.

Nos últimos dois dias vários exemplos. Nesta manhã, teve salvamento de um operário foi soterrado numa obra em São Paulo. Ontem, em Paranavaí, no Paraná o resgate de uma vaca caiu num poço de quatro metros.

Hoje de madrugada um motorista foi perseguido em São Paulo depois de bater no carro de uma guarda civil. Fugiu. Parou num posto e pediu ajuda para um bombeiro que chamou reforços e levou todo mundo pra delegacia.

Essa confiança aparece numa pesquisa feita nos Estados Unidos, Brasil e países da Europa. Entre 20 categorias os bombeiros aparecem em primeiro lugar.

Profissões mais confiáveis
BRASIL
Bombeiros – 95%
Carteiros – 90%
Médicos – 82%
Professores – 81%
Jornalistas – 79%

No Brasil, depois vem carteiros, médicos, professores de ensinos fundamental e médio e jornalistas.

Profissões mais confiáveis
MUNDO
Bombeiros – 92%
Professores – 85%
Carteiros, médicos e exército – 81%
Instituições religiosas – 62%
Organizações de proteção ao meio ambiente – 64%

No mundo, os professores aparecem em segundo lugar depois estão os carteiros, médicos e militares do exército, seguidos por instituições religiosas e organizações de proteção ao meio ambiente.

Se os bombeiros são os que mais merecem confiança para a grande maioria das pessoas, outra categoria também é unanimidade mundial. Só que pela desconfiança.

Os políticos aparecem na pesquisa como a profissão menos confiável na opinião dos entrevistados.

“A gente só vê falar coisas ruins, que acontece dentro do Senado”, diz uma senhora.

“Eu confio em mim e em deus, na política não”, afirma um senhor.

Profissões menos confiáveis
BRASIL
Político – 16%
Executivo de banco – 38%
Policiais – 48%
Sindicatos – 49%
Funcionalismo público – 53%

No Brasil, as profissões menos confiáveis são os políticos, os executivos de bancos, policiais, sindicatos e funcionários públicos.

Profissões menos confiáveis
MUNDO
Político – 18%
Publicitário – 28%
Diretores de grandes empresas – 33%
Executivo de banco – 37%
Profissionais de marketing – 39%

Na relação geral, os políticos são seguidos por publicitários, diretores de grandes empresas, executivos de bancos e profissionais de marketing.

Para os bombeiros em São Paulo, o resultado não surpreende. Eles recebem todos os dias cartas e mensagens eletrônicas de elogios e agradecimentos.

“O quartel de bombeiro não tem porta, é sempre uma casa aberta, então as pessoas querem dar um abraço no bombeiro, agradecer, trazem flores, trazem bolo, reafirma o nosso compromisso com a população, traz uma responsabilidade muito grande para o bombeiro”, afirma o Capitão Mauro Lopes, bombeiro de São Paulo.

Enviado por Elisa Isfer – mídia OpusMúltipla