CIDADE NA LUA É CRIAÇÃO DA LAUSAC

Uma cidade coberta de ouro na lua que guarda o conhecimento capaz de ajudar a solucionar a crise de recursos do ser humano. A morada do elixir nos últimos estágios da jornada do herói. A planta baixa desse endereço selenita, possui o formato inspirado no casco da tartaruga, primeiro calendário lunar que se tem notícia e que foi utilizado pelos índios Pokanoket Wampanoag. Com vinte oito gomos externos representando os dias entre as luas novas e treze gomos internos representando as luas do ano. Seu contorno foi estruturado dentro de um heptágono (polígono de sete lados) e boa parte da estrutura arquitetônica baseada na estética marroquina, faz referência a estrela de sete pontas que simboliza a harmonia do mundo, as sete cores do arco-íris, as sete zonas planetárias, permeando em grande parte, sua simbologia com o número 7.  Dessa forma, a estrela de sete pontas ou heptagrama, para os cristãos simboliza os sete dias da criação do mundo, enquanto que para os budistas simboliza os sete degraus para a evolução ou iluminação. Vale lembrar que para os pagãos, essa estrela representa um símbolo mágico.

Print

Esse é o cenário narrativo para o projeto Apolares, a cidade virtual da Apolar Imóveis, lançada em janeiro de 2016, apenas para o público interno da rede. O objetivo dessa ação é tornar a experiência no portal da Apolar Imóveis mais fluida, lúdica e rica, apostando em recursos de linguagem visual e direção de arte para transmitir a narrativa de marca da rede. Vale lembrar que o nome Apolar foi escolhido em homenagem ao projeto Apollo que colocou o homem na lua pela primeira vez em 20 de julho de 1969. Entre a concepção e produção a LAUSAC trabalhou por dois anos junto com a diretoria da Apolar Imóveis para incorporar esse lançamento.

Realidade Aumentada nos Games

O Geórgia Tech Augmented Environments Lab e o Savannah College of Art and Design (SCAD-Atlanta), mostraram as múltiplas possibilidades que a realidade aumentada tem para integrar o mundo virtual e mundo real com a ajuda de um protótipo de dispositivo portátil Nvidia.

O vídeo mostra como os usuários poderão criar um mapa em 3D. Coloque-o sobre uma superfície plana, que ele funcionará como um nível, ou neste caso uma cidade cenário para disparar sobre os zumbis. No vídeo, o jogador usa o handheld a pairar sobre o mapa como um helicóptero à caça de zumbis para aniquilar antes que eles façam a sua refeição de civis.

Na mesma linha O estúdio sueco A Different Game revelou os primeiros detalhes de “Ghostwire”, título exclusivo para Nintendo DSi. Considerado um jogo de ‘realidade aumentada’, os jogadores usam a câmera do portátil para achar fantasmas em lugares do mundo real. Após achá-los, é necessário descobrir o que os prende ao mundo dos vivos e descobrir uma forma para que estes descansem em paz.

Anders Bergman, designer-líder do game, comenta: “a plataforma Nintendo DSi é perfeita para este jogo já que nos permitiu melhorar a experiência integrada ao mundo real com a combinação de câmera, microfone e tela sensível ao toque”.